O futuro começa agora e isto tem se tornado uma grande realidade, a tecnologia avança em uma velocidade extraordinária, começamos a pouco desenvolver o nosso futuro. Esse futuro se representa no qual as pessoas não terão trabalho para conseguir as coisas, porque as máquinas farão por elas, um futuro ao qual, máquinas trabalham com máquinas, visando realizar as necessidades e desejos dos humanos. Essa realidade é a internet das coisas ou internacionalmente conhecida como Internet of Things (IoT). A era da internet está caminhando para a consolidação da sua terceira geração - a primeira fase tornou-se possível com a comunicação entre computadores e dados; a segunda conectou as pessoas e processos e a terceira visa conectar pessoas, processos e objetos em redes.  
A internet das coisas apesar de não popularizada já se mostra uma realidade latente e suas maiores invenções até o momento tem sido focada para auxiliar nas tarefas domesticas e atividades do cotidiano. O sistema IoT funciona conectando computadores com computadores, fazendo com que eles troquem informação por meio da internet e que ao fazer essa troca de informação o objeto resolva o problema ou se antecipe a uma ação humana. Um exemplo simples são as geladeiras que percebe que o leite acabou, se comunicam com o sistema do mercado, fazendo o pedido, efetuando a compra e garantindo que o produto não falte na geladeira. Outro exemplo possível seria o qual o celular do usuário manda um sinal para a casa, avisando que ele está se próximando e com isso os objetos se programem para acender as luzes, climatizar o ambiente e outras funções que deixariam o ambiente mais agradável.
A maior diferença entre a tecnologia da internet das coisas e a tecnologia que usamos atualmente é o seu armazenamento. Atualmente já utilizamos o armazenamento nas nuvens por banco de dados; a internet já é utilizada em grande parte da nossa rotina, mas ainda temos controle e tudo o que fazemos, por mais que tenhamos celulares e computadores inteligentes, eles requerem nossa aprovação e escolha. Já a tecnologia da IoT não se limita aos comandos do usuário e essa é um dos seus principais atrativos, porque por meio de conexões com outros computadores ele resolve problemas, prevendo nossa necessidade.   
Toda essa tecnologia encanta os olhos pois ajuda nas tarefas, mas a tendência para esse desenvolvimento aconteça em maior escala nas indústrias e nos negócios, porque se formos comparar em proporção, temos muito mais máquinas na indústria do que aparelhos eletrônicos em casa. Com isso Carlo Nizam chefe de visibilidade da cadeia de valor e RFID da Airbus inventou um novo termo, a "Intranet das Coisas", observando que "as empresas vão conectar seus ativos por uma rede interna, não a Internet, onde todos seriam capazes de acessar as informações. As empresas não querem seus dados sobre ativos na Internet". Por isso a intranet das coisas, ainda não muito explorado pela indústria tecnológica, é uma das grandes tendências para o nosso futuro próximo.